Publicado por: Caio Gondim | 24 junho 2010

Trilha Aparauá

TrVB 19062010 001

TrVB 19062010 003TrVB 19062010 005

Trilha em Aparauá, local agradável que fica num vale com um lago cercado de mata Atlântica, onde a sua margem fica a sede e restaurante construído de forma harmônica com a natureza do local, onde encontramos redes e até camas na sobra à beira do lago, para descanso e deleite dos privilegiados que tiveram a oportunidade de conhecer o lugar. Antes de sair, encomendamos o almoço para a nossa volta ao local, no final da trilha.

TrVB 19062010 006

TrVB 19062010 008TrVB 19062010 011

Iniciamos nossa trilha já entrando na mata fechada e como, choveu muito nos dias anteriores, alguns locais estavam alagados e nos obrigou a pedalar com água quase cobrindo as rodas da bike. Logo em seguida, a nossa primeira subida até chegar ao planalto onde fica o vilarejo de São Lourenço onde paramos para nos hidratar.

TrVB 19062010 013

TrVB 19062010 018TrVB 19062010 019

Ao sair do vilarejo, logo pegamos um single muito travado e íngreme onde nenhum dos participantes conseguiu zerar, ou seja, chegar até seu final sem colocar os pés no chão ou cair. Quando chegamos ao final da ladeira seguimos por um single entre sítios com plantações até chegamos à bica de seu Francisco, onde alguns como Roberta Tavares, Miriam e Jonatas não resistiram ao banho refrescante.

TrVB 19062010 020

TrVB 19062010 027TrVB 19062010 028

TrVB 19062010 030

Em pouco tempo, já estávamos no bar em Carne de Vaca onde pára a balsa que liga Pernambuco à Paraíba. No local enquanto tomávamos um delicioso caldinho de Aratu, o nosso amigo Jonatas logo arrumou um local pra tirar uma soneca que já é praxe, e também observamos à perícia de seis mecânicos incompetentes para retirar o pedal da bike de Rafael que estava travado, não dando condição de pedalar.

TrVB 19062010 032TrVB 19062010 033

TrVB 19062010 034

TrVB 19062010 040TrVB 19062010 044

Rafael e os seus cinco auxiliares chegaram a partir uma chave de boca na tentativa de retirar o pedal, quando já estavam desistindo da dolorosa luta contra o pedal, o dono do bar chegou com a solução, um cano de ferro com uns dois metros de comprimento que foi usado como alavanca para ajudar na retirar finalmente a peça depois de quarenta minutos de tentativas frustradas.

TrVB 19062010 045

TrVB 19062010 056TrVB 19062010 050

Depois da aula de como não se deve trocar um pedal, seguimos por estradinha próxima a praia até uma fazenda com plantação de Camarões, onde paramos para descansar um pouco antes da nova subida que nos levaria de volta ao planalto. Quando chegamos ao planalto, já eram quase duas horas da tarde e apesar de ser uma trilha relativamente pequena, e com uma temperatura agradável, até ali tínhamos rodado 18 quilômetros, o terreno molhado e em alguns trechos, encharcado, dava pra perceber que alguns estavam cansados, apesar de calados sem reclamações, como habitualmente Resk que não estava presente, fica dizendo o tempo todo que está com fome, principalmente quando sabe que tem comida pronta esperando. Decidimos não ir mais para a bica no meio da mata e seguimos direto para Aparauá.

TrVB 19062010 053

TrVB 19062010 067TrVB 19062010 069

TrVB 19062010 068

Às 14h30min chegamos ao final de nossa aventura, almoçamos e ao chegar ao local, encontramos dois trilheiros desolados e frustrados por não terem feito a trilha e só chegando ao local algum tempo depois de nossa saída, era Resk e Jana Jaques. Lavamos as bikes, tomamos banho e ao almoçarmos, fizemos a votação do troféu chupeta que ficou com Rafael por sua eficiência na troca dos pedais da bike!

TrVB 19062010 082

TrVB 19062010 089TrVB 19062010 090

TrVB 19062010 092

Valeu pessoal!

Fotos e Texto: Fernando Dornelas

Todas as fotos AQUI

DADOS TECNICOS:

Inicio – 9h45min;
Final – 14h30min;
Total – 21,5 km/h;
Máxima – 59,9 km/h;
Média – 9,9 km/h.

Pedalando sempre…

vb marca original

Anúncios

Categorias

%d blogueiros gostam disto: