Publicado por: Caio Gondim | 5 setembro 2010

Trilha Gurjaú – Cabo – Pedra de Xaréu

TrVB 17102009 001

Sábado 11/09/2010, chegamos ao ponto de saída da trilha ao lado da usina Bom Jesus às 8h, mas por problemas no local, não achamos o lugar inseguro para deixar os nossos carros, depois de algum tempo decidimos fazer outra trilha ali próximo onde poderíamos guardar nossos carros com segurança, decidimos ir para a cidade do Cabo e fazer a trilha até Pedra do Xaréu, no percurso até lá, mais um probleminha parte do grupo se perdeu e foi parar próximo à Gaibu. Parecia que o dia não estava favorável para se fazer trilha e a nossa insistência em continuar talvez não valesse apena.

Depois de tantos desencontros, às 10h02min iniciamos nossa aventura rumo a Xaréu, logo no início, uma estrada bastante sombreada, mas com trechos com barro molhado e mole que parecia um creme, começaram os primeiros tombos.

Seguimos em direção ao Picadinho, estrada feita com pedra picada da época da invasão Holandesa em nossas terras. Nossa intenção era chegar até Itapoama passando pela Reserva Ecológica de Camaçari, mais a trilha que seguimos estava alagada e com muito barro mole e profundo. Decidimos seguir pela trilha da lama até a estrada de Itapomama, no percurso muita lama, barrancos, ri eiras e valas escavadas por motos onde ficava lama e barro mole. Foi um teste de habilidade e escorregões, que teve algumas vítimas como Katarina ela realmente achou que era um creme com propriedades medicinais para a pele, Katarina mergulhou literalmente naquela gosma e ficou quase toda coberta com o tal creme de barro, ficou uma coisa linda!

Itapoama paramos no mirante que fica atrás do esqueleto do Hotel Cassino inacabado, a partir desse ponto parte do grupo decidiu pelo caminho mais fácil pelo asfalto até Xaréu, o restante desceu por um single bastante irregular até a praia e por outro single em cima das pedras e barrancos, seguimos até Xaréu onde encontramos o restante do grupo no bar de seu Domingos.

Parada, momento de descontração, alguns tomaram banho de mar, outros ficaram a mesa aproveitando os deliciosos caldinhos de frutos do mar. O grupo estava bastante animado e divertido, foram várias as piadas e brincadeiras, riamos o tempo todo, foi difícil sair dali, mais tínhamos que voltar já que começamos a trilha muito tarde e não podíamos demorar mais no local, uma pena, mas fazer o que!

No caminho de volta mais plano e com pouca lama e quase todo em mata fechada, foi tranqüilo sem nenhuma queda ou avaria. No meio da mata da reserva Ecológica de Duas Lagoas a vegetação era densa ao ponto de ficar escuro, ao ponto de um dos componentes sugerir que era lugar pra se trazer a sogra e deixar ali. Pedalamos mais um pouco até encontrarmos um riacho de águas claras, onde encontramos uma pinguela com dois finos troncos e para não molhar os pés, decidi passar por eles segurando a bike no ombro, foi uma festa todos começaram a gritar uns incentivando e outros ansiando pela queda no riacho. Foi muito divertido já que o tronco mais fino afundava até a água e o outro mais firme não se mexia, depois de titubear um pouco consegui chegar do outro lado sem cair mais com o pé direito molhado. Depois do mau exemplo, a maioria dos participantes decidiu tentar a travessia e a cada um deles, foi uma festa com muita gritaria, risadas e gente secando esperando o tombo dentro do rio. O último a tentar a travessia foi Rafael Gama, que desequilibrou várias vezes, eu jurava que ele cairia, mas por milagre ele escapou.

Seguimos e chegamos novamente ao trecho inicial da trilha onde havia bastante barro mole e molhado na estrada, onde a última vítima Rômulo Alcântara levou um estouro e ficou com o braço coberto de barro. Em pouco tempo às 15h12min, já estávamos no Posto onde iniciamos a trilha, todos inteiros tingidos de lama e com a alma feliz, apesar do início do dia onde parecia que ia dar tudo errado, foi exatamente o contrário, muita descontração, brincadeiras, piadas e quedas onde ninguém se machucou mais foi motivo de brincadeiras.

Valeu muito a todos e até a próxima aventura!

Por Fernando Dornelas.

DADOS TECNICOS:

Km Total – 26,39;

Média de veloc. – 10,5 Km/h;

Veloc. Máxima – 40,9 Km/h;

Tempo pedalado – 2’29’’34

Tempo total – 5h10min;

Hora início – 10h02min;

Hora final – 15h12min.  

Pedalando sempre…

vb marca original

Anúncios

Categorias

%d blogueiros gostam disto: